Encontro de poesia
VOX URBE


Filho bastardo do Porão Loqax – projeto do escritor Mario Domingues

– o Vox Urbe nasceu nas noites de terça-feira do histórico e já extinto Wonka Bar, em Curitiba. Com curadoria do poeta Ricardo Pozzo e com o apoio fundamental da empresária e produtora cultural Ieda Godoy, que cedia seu espaço e estrutura, o projeto sempre teve como principal objetivo abrir espaço para os poetas da cena local lerem e compartilharem seus poemas e pensamentos com o público, além de agregar e gerar um intercâmbio entre os poetas da cena curitibana e de outras cenas.

Ao longo de 5 anos de ininterrupta atividade,

foram diversas noites de leituras e bate-papos, inúmeros lançamentos e edições especiais de memória dos poetas de gerações passadas, além do tradicional microfone aberto a quem quisesse ler e compartilhar seus poemas ou suas leituras. Assim, o Vox Urbe tornou-se um importante espaço de encontro, de promoção e divulgação da arte da poesia em Curitiba, que criou agregou nomes novos e já reconhecidos da cena local e alguns da cena nacional.

Agora, através do apoio da COPEL e do PROFICE

– Programa Estadual de Fomento e Incentivo a Cultura, o Vox Urbe vem mais vitaminado, com nova roupagem e novos ares. O projeto ganhou a merecida estrutura de produção e divulgação para que chegue a um público mais amplo. Para isso, nosso time, inspirado e liderado pelo curador e idealizador do projeto Ricardo Pozzo, ganhou reforços. Com a produção da equipe time Processo Multiartes, dirigido pelo artista e produtor Adriano Esturilho e que busca cada vez mais uma marca de pluralidade, e com a participação da curadora Manoela Leão, nosso desafio é manter o espírito original de resistência do evento e ampliar seus horizontes. O desafio é buscar mais diversidade, aprimorar o formato das leituras, criar mais canais de troca com o público.


Dessa vez, além das leituras, teremos oficinas, mesas, debates/encontros, exibições de vídeos da série Pássaros Ruins, convidados de outros estados, apresentações musicais... e tudo com entrada franca, afinal, nunca é demais lembrar, você já pagou o seu ingresso quando pagou os seus impostos. E mais do que nunca, temos aqui, vivo e pulsando com a urgência que nossos tempos pedem, nosso desejo de cada vez mais dar mais voz à poesia, à cidade e a seus poetas. Que nosso desejo te contagie. E que a poesia aconteça.